Share

Only the best

O célebre lema de Calouste Sarkis Gulbenkian “only the best” (apenas o melhor) reflete a forma criteriosa como colecionava, e demonstra a relação apaixonada que desenvolveu com as suas peças.Neste podcast, ao longo de 12
6/17/2022

As várias paragens da coleção de Gulbenkian

Season 1, Ep. 6
Quando entram no Museu Gulbenkian, os visitantes estão longe de imaginar as viagens feitas pelas obras de arte que encontram. Não só foram criadas em momentos e lugares distintos, fizeram também parte de coleções de arte diversas até chegarem às mãos de Calouste Gulbenkian. Mas mesmo depois de entrarem na coleção, continuaram a viajar por Washington, Londres e Paris, divididas entre as casas do colecionador e museus internacionais, que Gulbenkian prezava pelas condições de conservação das obras que ofereciam. Só em Lisboa, e depois da sua morte, é que toda a coleção se reuniu e encontrou finalmente o seu lugar definitivo. Neste sexto episódio do podcast dedicado à coleção Gulbenkian, João Carvalho Dias, diretor-adjunto do Museu Calouste Gulbenkian, e Rui Ramos, historiador, falam das múltiplas viagens e da última grande travessia das obras da coleção.  Only the best, um podcast do Museu Gulbenkian em parceria com o ObservadorA célebre frase de Calouste Sarkis Gulbenkian “only the best is good enough for me” (“apenas o melhor me basta”) reflete a forma criteriosa como colecionava, e demonstra a relação apaixonada que desenvolveu com as suas peças.Neste podcast, ao longo de 12 episódios, o historiador Rui Ramos e o diretor-ajdunto do Museu João Carvalho Dias viajam pela vida e pela coleção desta figura incontornável, revelando as histórias por trás das suas mais importantes aquisições, sempre a par dos acontecimentos que marcaram o séc. XX.